«O mais importante na vida é ser-se criador – criar beleza. Para isso é necessário pressenti-la aonde os nossos olhos não a virem. Eu creio q sonhar o impossível é como q ouvir a voz de alguma coisa q pede existência e que nos chama de longe.»
Quinta-feira, 22 de Novembro de 2007
Metrosexualidade


Se é homem... imagine o homem que gostaria de ser…
Se é mulher… que tipo de homem gostaria de ter a seu lado?

 

A metrosexualidade é um fenómeno recente que tem renovado o conceito tradicional do homem. Quando se começou a ouvir o termo associou-se a aspectos relacionados com a sexualidade, por vezes interpretadas como sinónimo de homosexualidade.
O que é então a Metrosexualidade?
A Metrosexualidade é um fenómeno que como tantos outros se manifesta na sociedade em constante evolução, é a “revolução” do homem das metrópoles, que se diz moderno e com amor-próprio. Para perceberem melhor: as mulheres há anos que podem ser consideradas metrosexuais, pois há anos que os padrões de beleza e bem-estar do corpo e da mente são uma preocupação a ter em conta, há anos que as mulheres utilizam maquilhagem, cremes, fazem depilação, e agora são os homens que assumem também esta prioridade consigo próprios. O típico estereótipo de macho, está de certa forma a ser abandonado, e o que é engraçado é que o que vem ao de cima, é o assumir de aspectos da feminilidade por parte destes homens, de não terem problemas em fazer a depilação, irem com frequência ao cabeleireiro, e o assumirem perante os outros que ainda são conservadores e o apontam como uma “vergonha para os machos”.

Em termos orientais existe o Yin e o Yang. A mulher é predominantemente Yin e o homem essencialmente Yang pela própria natureza que os distingue. No entanto, ambos temos os dois aspectos e é esta interacção que proporciona o “equilíbrio”.
Eu… gosto de automóveis, gosto de artes marciais… irão concluir que sou…
Homem?
Mulher?
Se escolheu a segunda acertou!
Então e se um homem se souber tratar, souber revelar o seu lado sensível começa a ser catalogado erroneamente?
É uma atitude diferente perante a vida, a forma de vestir, entre outros aspectos um pouco diferentes do considerado “habitual”.
Então como é e quais são as bases de um homem metrosexual?
É definido como um heterossexual, sensível, bem educado, cavalheiresco, urbano e que esteja ciente do seu lado feminino. Pode ter uma marcação semanal na manicure, o cabelo será da responsabilidade de um excelente cabeleireiro e não barbeiro e as massagens de relaxamento e até – porque não? – uma limpeza facial num Spa.
O metrosexual adora comprar, poder usar bons produtos de joalharia e relojoaria, e o seu armário de casa de banho terá certamente bons produtos de cosmética, perfumaria e higiene pessoal masculina, incluindo cremes e revitalizantes para a pele.
Um metrosexual preocupa-se com o seu físico e aparência, frequentando um health club com condições de higiene e acompanhamento profissional. Tem uma noção absoluta do poder da imagem que vende e adora que reparem nele.

A curiosidade acerca dos metrosexuais subiu consideravelmente em Junho de 2003 quando a “RSCG Euro Worldwide”, uma agência de comunicações e marketing baseada em Nova Iorque e outras 200 cidades, exploraram a aparente mudança de hábitos dos “machos americanos” num relatório intitulado “o futuro dos homens”.

Para esta pesquisa, foram entrevistados homens com idades compreendidas entre os 21 e os 48 anos de todo o território dos Estados Unidos.

As conclusões? De acordo com o relatório, há "uma vaga emergente de homens que lutam contra as limitações e vergonhas instituídas" de papéis masculinos tradicionais e que "fazem o que querem, compram o que querem, apreciam o que querem apreciar - não obstante o facto de muitos ainda julgarem que são coisas de não machos."

O “macho” metrosexual é provavelmente mais sensível e de algumas maneiras mais afeminado que o seu pai, diz “Schuyler Brown”, uma das ‘arquitectas’ do estudo e directora associada ao ‘trendspotting’ e pesquisas estratégicas da “RSCG Euro Worldwide”.

Os metrosexuais procuram empurrar os limites tradicionais da aparente “sexualidade” que definem o que é ser-se masculino e o que é ser-se feminino, mas nunca sentem que são qualquer coisa além de "homens reais.", diz Schuyler B..

Os homens metrosexuais "são muito seguros relativamente à sua sexualidade," diz a citada autora do estudo. "Sentem-se confortáveis quando começam as suas sessões de limpeza facial ou pedicure. Não se sentem menos masculinos ou menos heterossexuais."

Afinal e a bem de uma requalificação do facto de se ser e saber estar como um homem neste novo milénio já há muitos que deixam de lado a brutalidade do “macho latino” (“porco”, “feio” e “mau”) para uma mais actual e inteligente atitude metrosexual...

Com o forte processo de influência social a exercer pressão sobre os indivíduos, este é um fenómeno que veio para ficar, a realidade é que existem cada vez mais homens metrosexuais, também os média sustentam este fenómeno, quer através da publicidade a produtos de beleza dirigidos exclusivamente a este segmento de mercado, quer através de programas que divulgam a imagem deste novo estereótipo masculino.


tags: ,

publicado por Mei Hui às 02:26
| escrever | favorito

7 comentários:
De Lua de Sol a 28 de Novembro de 2007 às 09:37
Olá...
Acho que é a primeira vez que não vejo um assunto completamente sobre a "tua" perspectiva.
Pois, na realidade, talvez o metrossexual devesse ser apenas um homem que se preocupa com a sua imagem, sensível... Mas do que tenho verificado, tende a exagerar e muito. Ultrapassa o feminino. Não me refiro a que fique efiminado, não, nada disso. Refiro-me a um excesso de atenção com a imagem. Existem mulheres vaidosas, "normais" e desleixadas. Tal como homens. E eu vejo mais um metrossexual como um vaidoso. Um homem pode ter bom gosto, preocupar-se com a sua imagem e não passar os dias no ginásio, a ver-se ao espelho, nas massagens, a besuntar-se com cremes, a ir ao cabeleireiro, enfiado nas lojas a comprar roupa... é um fútil. Tal como as senhoras que se dedicam excessivamente ao corpo. Ambos se esquecem de cultivar a mente, a alma. O conceito de metrossexual poderia ser esse mas na realidade divergiu, dilatou. Já vi imensos documentários que dizem e os apresentam a eles próprios (que se consideram orgulhosamente metrossexuais) como o que eu referi. E conheço alguns... infelizmente, ajudei a "criar" um...Fazem crescer água na boca mas depois... vaidade q.b. é ter auto-estima, para além disso vaidade será um enjôo e fútil. Metrossexuais preocupam-se tanto com a imagem que tendem a medir o mundo e os outros por essa medida exagerada. Parece que até ganham dificuldade em amar o próximo pela pessoa que é...
Eu gosto de motas, motocross, super bike... Sou homem? Sou mulher e bem feminina por sinal! E não sou desleixada mas não vivo para o culto da imagem.
Quero um metrossexual?! Não, obrigado! Gosto de um BELO homem, SENSÍVEL, mas que não se preocupe em demasia consigo próprio... Ainda se esquecia de se preocupar comigo e com o que na realidade importa...

Beijocas
(Acho que viste a coisa muito bela, como aliás seria de esperar, tratando-se de uma pessoa como tu, que eu gosto imenso!)


De Nuno Matias a 28 de Novembro de 2007 às 15:20
Sobre a Metro-Sexualidade há muita coisa a dizer... Mas acho que não é um factor recente. No Império Romano é sabido a preocupação que os homens tinham com a sua imagem (caso: Banhos Públicos). Na Era Clássica, veja-se as espampanantes formas de vestir dos homens.... É de notar que foram os homens os primeiros a usar maquilhagem e bijouteria!!!
Esta preocupação com a imagem terminou com a Revolução Indústrial que levou os homens para as fábricas sujas de então (facto que aconteceu também com as mulheres na 2ª Guerra Mundial).
Após a II Guerra Mundial e com a forma de fabricar produtos a ser cada vez mais limpa (robotização e outros factores), é natural que o homem volte a ter cuidados com a imagem que foram perdidos há quase século e meio.
Pessoalmente, acho que existe certos exageros como a depilação visto que a Natureza nos deu os pêlos para que possamos ter uma protecção extra face aos factores ambientais. É de notar que quanto mais "limpos" nos tornamos, mais infecções apanhamos porque não deixamos o nosso Sistema Imunitário combater guerras que deveria combater, ou seja, torna-se cada vez menos "musculado".
Em poucas palavras, há que encontrar um meio-termo entre a estética e a o factor prático das alterações corporais. Somos o resultado de milénios de adaptações ao Meio Ambiente e foram essas adaptações que nos permitiram sobreviver como espécie reinante na Terra, por conseguinte, não as devemos abandonar por caprichos estéticos porque corremos o risco da extinçao!
Socialmente há uma coisa que me revolta: o facto dos meios de comunicação imporem a forma de como deveremos ser em vez de respeitarem a forma como somos. Cada um é diferente dos demais e é isso que nos permite ser únicos e termos a nossa Identidade. Já repararam se tivéssemos a mesma cara??? Pois bem, acho que um dos factores de evolução e de maturidade é aceitarmos o nosso corpo como ele é e, também, respeitarmos os corpos dos outros como eles são e aprendermos a admirá-los também. Resumindo, os corpos são como as ideias, entendem!?
Pessoalmente pratico um pouco da "metro-sexualidade" pondo cremes (devido à poluição atmosférica) e cortando ou aparando a barba mas, fora disso, gosto de mim assim, como a Natureza me fez, ou seja, não sou extremista mas respeito quem passa as ditas horas a fazer o culto da imagem...
Termino aqui a minha opinião com uma reflexão: Não acham a Metro-Sexualidade um conceito semelhante ao Culturismo e à Musculação???


De Amanda a 7 de Abril de 2011 às 20:41
Na minha concepção é maravilhoso namorar um homern metrosexual!!!!


De Antonio a 8 de Julho de 2011 às 16:02
Obrigado pela criação deste blog. É bastante esclarecedor. No outro dia houvi pela primeira o termo metrosexual pela senhora que me faz a depilação.
Hoje ao ler os vossos cometários, percebo que me identifico com muito que está acima mencionado. No entanto, considero que existe algum exagero, senão extremismo, nas palavras. Gosto de facto da sensação após uma depilação do corpo, especilamante nas partes mais iíntimas. Aprendi a gosta de usar cremes no corpo.
Até me "aventurar", hoje perceber(!) as vantagens, do acima exposto tinha subjacente um conceito de ter tendendias homosexuais. Claramante percebo que não, antes pelo contrário.
Considero e aprendi a importância do uso dos cremes diários no corpo - não me vou estender neste assunto, cada um sabe de si - e diria que por preconceitos [= conceitos predefinidos] que tive nunca dei a devida importância.
Quanto ao extremo de me manter "au point" numa base semanal, de adquirir roalaria, enfim ... de me exibir considero que nem estou lá.
Finalmente apercebi, e concordo com o que foi comentado, que o homem perdeu este interesse de há 150 anos, e neste sentido a mulher tem sido muitissimamente mais arrojada em quase todos os aspectos, e pelo contrário os homens mais conservadores.


De Luiz magno a 24 de Março de 2012 às 14:10
Eu me cuido faço depilaçao faço as unhas gosto de cuida do cabelo roupas da moda e d marcas famosas perfumes importados limpeza de pele academia e um culto ao corpo mas tdo isso e para as mulheres!!!


De Darcio Gomes a 6 de Janeiro de 2013 às 21:16
gosto muito de me cudar, no meu ponto de vista isso e sinal de igiene, e me sinto muio bem quando me depilo, e minha esposa gosta muito, a relacao fica mais deliciosa... rsrsrs
gosto tbm d estar sempre cheiroso e limpinho.

e o cuidado com nosso corpo nos da qualidade de vida e alto estima...

abrass tt


De Atanasio haipengue a 15 de Fevereiro de 2013 às 19:23
este e tipo homossexuais eles gostom tambem de homem


Comentar post

Confidence and style is all about looking great and feeling fantastic.
Pesquisar no Spa
 
Pétalas de Perfume

Massagem a Bebés

Amamentar aumenta QI

O Pai Natal vai a Caminho...

Mãos, cotovelos e joelhos

Dicas para o Rosto

Ritual de Beleza

Maturidade – tempo de com...

Vida Adulta – equilíbrio ...

Adolescência – ensaio par...

Infância - hora de imitar...

Gotas da Essência
anuncios para empresas
tags

todas as tags

Caixinha das Pétalas

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Fazer olhinhos
blogs SAPO