«O mais importante na vida é ser-se criador – criar beleza. Para isso é necessário pressenti-la aonde os nossos olhos não a virem. Eu creio q sonhar o impossível é como q ouvir a voz de alguma coisa q pede existência e que nos chama de longe.»
Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2008
Massagem a Bebés

 

Nutrir uma criança
Sim
Mas não so com leite
É preciso pegar-lhe ao colo
É preciso acariciá-la
Embalá-la
E massajá-la
É necessário conversar com a sua pele
Falar com as suas costas
Que tem sede de fome
Como a sua barriga


“Shantalla” – Leboyer, F.

 

 

 

Shantala é uma técnica de massagem milenar para bebés, originária da Índia. Através dela, mamãe e bebé vivenciam uma íntima relação de troca e amor transmitida pelo toque.

Esta técnica foi trazida para o ocidente na década de setenta pelo médico francês Fréderic Leboyer. Em uma viagem à Índia Leboyer se encantou com a imagem de uma mãe massageando seu bebê ao ar livre, em uma bela manhã de sol. Shantala era o nome desta mãe que se deixou fotografar e ensinou a técnica ao médico e, em sua homenagem, Leboyer deu o nome de Shantala à esta técnica de massagem. Pouco tempo depois publicou o livro chamado “Shantala – uma arte tradicional” (1976) e desde então, muitas famílias, profissionais da saúde e terapeutas aplicam e divulgam este tesouro milenar indiano que proporciona inúmeros benefícios aos bebés.

Por Alessandra Bueno

 

 

“A massagem de bebés é uma arte, tão antiga quanto profunda, simples, mas difícil, difícil por ser simples, como tudo o que é profundo.”

Shantala é uma massagem indiana que tranquiliza, evita cólicas, insónias, melhora a digestão e ainda ajuda a aprofundar a relação de afecto entre a mãe e o bebé podendo ainda ser efectuada em crianças até os 9 anos. Esta técnica de massagem é originária do sul da Índia e foi trazida para o Ocidente pelo obstreta Fréderic Leboyer que se apercebeu que as crianças indianas tinham um bom tónus muscular e eram alegres apesar de toda a pobreza em que viviam. Então resolveu pesquisar o porquê e conheceu uma mulher chamada Shantala nas ruas pobres de Calcutá a massajar o filho e descobriu que esta o fazia diariamente tal como a grande maioria das mães indianas. Aprendeu a técnica e resolveu implementá-la na Europa.

Utiliza-se musica suave e o ambiente é aquecido pois o bebé não pode sentir frio e deve sentir-se o mais confortável possível.
Vai precisar para a massagem de um óleo de massagem de amêndoas doces ou de camomila, de duas almofadas, de duas toalhas grandes e de muito carinho.

Realiza-se da seguinte forma:
1º - Sente-se com as pernas esticadas, a coluna direita e coloque a criança de frente para si numa posição confortável apoiada nas almofadas. Olhe sempre para os olhos da criança. A massagem deve ser feita sem pressas. Concentre-se procurando sentir as reacções da criança.
2º - Comece a massagem deslizando suavemente as mãos pelo corpo da criança da cabeça aos pés.
3º - Pingue algumas gotas de óleo na sua mão e coloque no peito da criança massajando em forma de X cruzando o tórax.
4º - Massaje os braços da criança até ás mãos como se fossem uma rosca e depois abra a palma da mão e massaje suavemente cada dedo.
5º - Passe então o óleo na barriga com as mãos espalmadas de cima para baixo e fazendo uma leve pressão no ventre.
6º - Tal como tinha efectuado nos braços, massaje as coxas com o movimento de rosca ou de torção. Depois massaje as plantas dos pés, primeiro com os polegares e depois com a palma da mão.
7º - Vire o bebé de bruços e comece a massajar as costas com as duas mãos desde do pescoço ás nádegas.
8º - Com uma das mãos apoie as nádegas da criança e com a outra percorra as costas, descendo da nuca ás nádegas como uma onda
9º - Continue a percorrer as costas de alto a baixo, mas em vez de parar nas nádegas siga o movimento passando pelas coxas, pernas, até aos pés.
10º - Vire a criança de frente para lhe massajar o rosto, deslizando os dedos da testa para o queixo, com movimentos circulares em volta dos olhos e da boca.
11º - Faça agora nos braços e nas pernas movimentos cruzados de abrir e fechar, respeitando a flexibilidade da criança. Antes de acabar a massagem leve a criança próximo do seu rosto e converse com ela baixinho sempre olhando nos seus olhitos.

fonte: Naturopatiaonline




publicado por Mei Hui às 16:56
| escrever | favorito

Quinta-feira, 3 de Janeiro de 2008
Amamentar aumenta QI

Realmente a mãe Natureza não nos deixa de espantar ao provar uma vez mais a riqueza que significa a amamentação natural!

“Amamentar um bebé a leite materno tem inegáveis vantagens para a saúde da criança, como tem sido cientificamente comprovado ao longo dos tempos. Mas a amamentação é igualmente vantajosa no desenvolvimento intelectual da criança. De acordo com um estudo desenvolvido pela Academia Nacional das Ciências do Reino Unido, conclui-se que as crianças com o gene FADS2, que são alimentadas com leite materno, podem atingir um quociente intelectual (QI) sete pontos mais elevado do que o daquelas que, possuindo o mesmo gene, não são alimentadas da mesma forma.

Segundo a explicação avançada por aquela academia, o gene em questão ajuda a reduzir os ácidos gordos da dieta alimentar, os quais estão directamente ligados ao desenvolvimento do cérebro. Para os investigadores, sete pontos no QI de uma criança em idade escolar é uma diferença suficiente para colocar a criança entre as três mais inteligentes da sua turma.

Cerca de 90% dos indivíduos possuem esta versão do gene. Investigadores do Instituto de Psiquiatria, do Kings College London, comprovaram tal, usando dados de dois anteriores estudos relativos a crianças amamentadas a leite materno, no Reino Unido e na Nova Zelândia, envolvendo mais de três mil indivíduos. O seu QI foi medido de várias formas, para crianças entre os cinco e os 13 anos, que estudavam.

Vários trabalhos anteriores sobre inteligência e amamentação chegaram a conclusões antagónicas. A partir daqui, desenvolveu-se uma discussão académica em torno do assunto, nomeadamente procurando saber se as mães que tinham atingido um maior grau académico nos seus estudos ou que possuíam um mais elevado nível cultural, estariam mais dispostas a amamentar, influenciando, desta forma, os resultados.

Um dos investigadores da Academia Nacional de Ciências britânica, o professor Terrie Moffitt, co-autor do estudo, revelou que as conclusões agora alcançadas dão uma nova perspectiva na argumentação, mostrando a intervenção de um mecanismo fisiológico, que diferencia a alimentação ao peito do leite administrado a crianças por biberão. “O argumento sobre a inteligência tem sido utilizado no último século, no debate entre natureza e nutrição”, refere o mesmo cientista. “Contudo, conseguimos agora demonstrar que, de facto, a natureza trabalha através da nutrição para potenciar futuramente a saúde das crianças.”

Desde que foram feitos os estudos utilizados nesta análise, a indústria de produtos lácteos começou a adicionar ácidos gordos ao leite, mas os resultados apurados foram inconsistentes.

Belinda Phipps, do National Childbirth Trust, comentou estes resultados, referindo que estes “mostram que a maioria dos pais pode influenciar positivamente o QI dos seus filhos, amamentando-os”. Catherine Collins, uma dietista do St. George Hospital de Londres e da Associação Dietética Britânica, afirmou que a investigação salienta a interacção entre nutrição e genética.|- P.C. e DIREITOS RESERVADOS (imagem)”

fonte: DN




publicado por Mei Hui às 20:52
| escrever | ver o que foi dito (2) | favorito

Confidence and style is all about looking great and feeling fantastic.
Pesquisar no Spa
 
Pétalas de Perfume

Massagem a Bebés

Amamentar aumenta QI

O Pai Natal vai a Caminho...

Mãos, cotovelos e joelhos

Dicas para o Rosto

Ritual de Beleza

Maturidade – tempo de com...

Vida Adulta – equilíbrio ...

Adolescência – ensaio par...

Infância - hora de imitar...

Gotas da Essência
anuncios para empresas
tags

todas as tags

Caixinha das Pétalas

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Fazer olhinhos
blogs SAPO